Glossário do mundo web

 In Dicas e informações

Entender as siglas e o que elas significam no mundo da internet nem sempre é coisa fácil, listamos aqui algumas desses termos.

>@font-face

a propriedade baseada em CSS permite que se usem famílias de fontes que não estão instaladas no computador do usuário. Ele importa tipografia de servidores e incrementa as velhas fontes comuns disponíveis para páginas web.

>Access Token

ou token de acesso. Serve para descrever o contexto de segurança de um processo. As informações do token incluem a identidade e os privilégios da conta de um usuário associada a um determinado segmento.

>AI

Arquitetura de Informação é a expressão de um modelo ou conceito para exemplificar sistemas complexos. A AI se relaciona com o gerenciamento de conteúdo, usabilidade e banco de dados entre outros aspectos de desenvolvimento de um site.

>API

é um acrônimo para Application Programming Interface, ou em português, Interface de Programação de Aplicativos. Trata-se de um conjunto de padrões de programação que permite a construção de apps.

>ASCII

é a sigla para American Standard Code for Information Interchange (em português, Código Padrão Norte-americano para Intercâmbio de Informações). Foi proposto por Robert W. Berner, para padronizar código alfanuméricos (letras, sinais, números, pontuação) que poderiam ser entendidos por hardwares de diferentes fabricantes.

>Anti-alising

é um recurso presente em alguns aplicativos e softwares capaz de corrigir imagens granuladas por pixels.

>ARIA

abreviação usada para designar Accessible Rich Internet Applications. É um protocolo do W3C usado para o desenvolvimento de aplicativos.

>Backend

é a base de dados de uma página, que fica “escondida” pelo frontend. Alguns exemplos de linguagens backend são ASP.NET, Java e PHP.

>Backlinks

são links externos que levam ao conteúdo do seu site. Em SEO, é importante construir bons backlinks para conseguir boas ligações e saber quais páginas da web promovem suas postagens.

>Big Data

Conceito no qual o foco é o grande armazenamento de dados de forma rápida que podem ser coletados e utilizados para os mais  devidos fins de negócios digitais.

> Breakpoints

são “pontos” adicionados a um código capazes de parar o processamento para que você analise cada linha individualmente. São muito usados em projetos responsivos.

>CDN

Content Delivery Network ou Rede de Distribuição de Conteúdo, é um grande sistema de servidores distribuídos em vários centros de dados na internet. Seu objetivo é entregar conteúdo ao usuário final com maior desempenho e rapidez.

>CMS

nada mais é do que um sistema de gerenciamento de conteúdo (do inglês, Content Management System) capaz de estruturar e facilitar a criação, distribuição, publicação, administração e a visibilidade da informação em um site. Um CMS oferece ferramentas para realizar ações nos navegadores. Exemplos famosos são WordPress, Joomla e Drupal.

>Cocoa

API para programação de aplicativos para computadores e dispositivos da Apple, que possuem sistema operacional iOS e OS X. O framework Cocoa é usado para desenvolvimento de aplicações.

>Compass

funciona como um framework open source para CSS. Ele usa a extensão Sass para organizar classes e marcações, criar tipografias coreografadas e facilitar o workflow.

>Cross-browser

um site ou app cross-browser é aquele que consegue se adaptar à múltiplos navegadores.

>CSS

o chamado Cascading Style Sheets é uma “folha de estilo” feita de camadas e usada para definir a aparência de sites da internet. Para o seu desenvolvimento são utilizadas linguagens de marcação como HTML, XML e XHTML.

>Doctype

a declaração doctype é o primeiro código que deve ser acrescentado ao documento de um site, antes da tag. Ela é responsável por dizer ao navegador qual tipo de linguagem usada em determinada página, HTML ou XTML, por exemplo.

>Document Outline

é o que define a estrutura da hierarquia de uma página. Através de títulos de documentos e formulários, é possível gerar uma tabela de conteúdo, por exemplo.

>DOM

o Document Object Model é uma multiplataforma criada pela W3C que representa como as marcações HTML, XTML e XML são organizadas e lidas pelo navegador.

>DRM

o polêmico Digital Right Management (Gerenciamento de Direitos Autorais, em português) é um conjunto de tecnologias aplicadas em conteúdos digitais, como softwares e arquivos, para controlar a criação de cópias não autorizadas. Cada empresas possui um DRM diferente, que pode até restringir características de um produto pela segurança.

>Drupal

framework modular que se enquadra a um CMS escrito em PHP. Ele permite organizar e manipular conteúdos.

>DSL

trata-se de uma tecnologia integrada a modems de internet banda larga. A DSL é uma conexão de alta velocidade e que utiliza os mesmos cabos de uma linha telefônica comum.

>Em

Unidade de medida muito utilizada em tipografia. O nome vem da letra “M” maiúscula e corresponde a sua largura. Os Ems também são usados em CSS.

>Fingerprint

na área de criptografia, um fingerprint – que em inglês são digitais que temos nos dedos – seria uma forma de deixar seus dados mais seguros. As digitais das pessoas ficam cadastradas no HD de um computador e, somente elas, por meio de um leitor biométrico, têm acesso a determinados arquivos.

>Fluid grid

novo sistema de grade que trabalha na adaptação do tamanho de telas, imagens e layouts. É baseado em XHTML ou CSS e segue tanto a grade de tipografia quanto a de linha.

>Framework

um framework é uma abstração que une códigos comuns entre vários projetos de software, e cria uma função genérica. Ela pode cumprir um papel específico durante a programação, inclusive ser criado por desenvolvedores e programadores.

>Frontend

interface entre o usuário e o backend, responsável por exibir as várias formas de processamento. Em um software, por exemplo, o frontend é a parte que interage diretamente com o usuário. Alguns exemplos de linguagens frontend: XHTML, JavaScript e CSS.

>Gateway

ou porta de ligação, é uma máquina intermediária geralmente usada para interligar redes, separar domínios ou traduzir protocolos. Os roteadores e firewalls são exemplos de gateways, já que ambos podem ser considerados como mediadores de redes.

>GPU

Graphics Processing Unit, ou Unidade de Processamento Gráfico, conhecido também como VPU é o nome dado a um tipo microprocessador especializado em processar gráficos em computadores ou videogames.

>Greybox

é um script que funciona como uma janela pop-up. É baseado em JavaScript e se sobrepõe aos elementos anteriores como <form>.

>Hover

por meio de CSS, é possível fazer efeitos hover sobre links ou blocos de texto em um site. Assim quando você passa o mouse por cima do conteúdo, ele pode assumir aspectos diferentes (de cores, fundos, transições).

>HTML

acrônimo para Hyper Text Markup Language (Linguagem de Marcação e Hipertexto, em português). Esta linguagem é utilizada para produzir páginas na web, que podem ser interpretadas pelos navegadores. São “etiquetas” com códigos que, combinadas, definem os traços de um página, como a cor da fonte, por exemplo. O HTML foi definido formalmente na década de 1990 e mudou totalmente o rumo da internet.

>HTML5

a nova versão do HTML é a que mais se assemelha à chamada web semântica. O sistema antigo era todo composto por tags. No HTML5, algumas dessas “etiquetas” são mais objetivas. Com um código específico para cada mídia (um para vídeos, outro para imagens e outro para geolocalização, por exemplo) fica mais fácil e rápido navegar na internet.

>iOS 

abreviação para iPhone OS. Ou seja, é o iPhone Operation System – o sistema operacional do smartphone da Apple. Normalmente, o iOS é encontrado em dispositivos sensíveis ao toque como iPod Touch e iPad.

>JavaScript

é uma linguagem de programação baseada em scripts que surgiu nos anos 1990. Chamado de JS para os programadores mais íntimos, foi projetado para criar programas encarregados de ações dentro de uma determinada página da web.

>Joomla

Tipo de sistema de gerenciamento de conteúdo (CMS). É um projeto desenvolvido na linguagem de programação PHP. O Joomla pode ser executado em servidores Apache ou IIS e base de dados MySQL.

>JSON

Acrônimo para JavaScript Object Notation e funciona como um formato para intercâmbio de dados computacionais. Costuma ser usado principalmente como uma alternativa ao XML.

>Keepalive

os keepalives (ou Keep Alives) funcionam permitindo que os browsers façam múltiplas requisições usando apenas uma conexão. São usados principalmente para melhorar a performance de páginas da web.

>Media Queries

representam o uso de Media Types que definem as características de definição para diversos dispositivos. Elas definem para que tipo de media o CSS será direcionado. Por isso o conceito é tão importante no design responsivo.

>MVCSS

Método que mistura SasS (Software as a Service)e arquitetura MVC (Model View Controller) e CSS. Ele é usado para organizar style sheets durante o processo de desenvolvimento.

>MySQL

trata-se de um sistema de gerenciamento de banco de dados que faz uso da linguagem SQL na interface. É um dos bancos de dados mais populares no mundo, suporta quase todas as plataformas e é gratuito.

>Mobile First

Termo usado para classificar um projeto de site ou app que foi desenvolvido primeiro para telas pequenas de dispositivos móveis e depois para desktops. A abordagem é o inverso do que era feito antes da chegada do “mobile”.

>Mock-ups

é uma peça em tamanho real (pode ser também uma maquete) de algum produto, que serve para demonstrar como este ficará na fase final. Designers e web designers usam mock-ups para esquematizar seus produtos a clientes.

>Modal box

é uma caixa de efeitos que pode ser adicionada para incluir um elemento a um site, como um botão, por exemplo. Não é exatamente uma lightbox, que é um tipo de modal box feito para colocar imagens e alguns tipos de conteúdo.

>Modal Window

em design de interfaces, é uma pequena janela que serve para indicar um local de interação em um website.

>Mood board

é um painel de referências visuais de um projeto. Ele permite que o designer organize suas ideias exemplificando detalhes como cores, texturas, formas e estilos. Assim, fica mais fácil expor os planos de trabalho para clientes.

>OAuth

o protocolo de autenticação OAuth permite compartilhar recursos privados (fotos, vídeos, lista de contatos, etc) com determinados sites sem a necessidade de validação de usuário e senha. É como permitir que uma aplicação se autentique por meio de outra. Como postar no Facebook e compartilhar no Twitter sem a necessidade de acessá-los.

>Onboarding

técnica usada por sites para fazer com que seus visitantes preencham formulários (de informações pessoais) e aprendam a usar funções disponíveis. Por meio de passos e interação divertida, apps e websites conseguem fazer com que usuários participarem mais.

>Open Source

Código aberto: qualquer ferramenta gratuita e aberta aos desenvolvedores, para ampliação, revisão ou variação de funções.

>P2P

o formato de redes de computadores peer-to-peer descentraliza as funções da rede, de modo que cada usuário conectado consegue realizar funções de servidor e cliente ao mesmo tempo. Assim, é possível compartilhar arquivos entre computadores interligados.

>Parallax

Aproveitado no web design, é um efeito de ilusão ótica muito explorado em games. Por meio de camadas e sobreposições, é possível criar um visual de profundidade, ou seja, um efeito Parallax.

>PHP

Acrônimo para Hypertext Preprocesor, uma linguagem de programação que trabalha ao lado do servidor e é independente de plataforma. Funciona como uma grande biblioteca de  funções e documentações.

>Responsivo

um site com design responsivo é aquele capaz de se adaptar a múltiplas proporções de telas ou resoluções. Por exemplo: uma página que se encaixa e funciona bem na telinha do celular ou tablet com a mesma experiência de um desktop.

>Ruby on rails

é um framework livre que promete aumentar a produtividade e facilitar o desenvolvimento de sites orientados por bancos de dados. Com ele, é possível criar aplicações com estruturas pré-definidas. É uma linguagem de código aberto feita totalmente em Ruby.

>RWD

sigla em inglês para Responsive Web Design (Web Design Responsivo, em português). A expressão aparece muito em textos gringos sobre o tema.

>Sass

Expressão para Stylesheet Language, metalinguagem usada em CSS. Ela utiliza indexação para determinar blocos de código e caracteres newline para separar regras. Faz parte de métodos que usam Compass.

>SaaS

Não confunda com Sass, citado acima. SaaS é uma abreviação para Software as a Service, uma forma de distribuição e comercialização de software, no qual o fornecedor entrega todo o sistema necessário para que um software funcione, como servidores, conectividade, segurança e por aí vai.

>SEO

sigla para Search Engine Optimization (Otimização para Motores de Busca, ao pé da letra). Trata-se de uma ferramenta que, basicamente, usa palavras-chave para recolocar página na internet nas melhores posições dos websites de pesquisa.

>Shipware

programa de computador que trabalha na linguagem Fortran e funciona por meio de implementações numéricas.

>SSL

do inglês, significa Secure Socket Layer, ou Transport Layer Security. Permite que aplicativos troquem informações com o máximo de segurança, protegendo a integridade e a veracidade do conteúdo veiculado na web. O sistema funciona com autenticações dos apps envolvidos na troca de dados.

>Streaming

é uma forma de distribuir informação multimídia em uma rede por meio de pacotes. Em streaming, geralmente a mídia não é salva pelo usuário. Esta é constantemente reproduzida em uma página à medida que o usuário acessa. Vídeos na web funcionam assim, por exemplo.

>SVG

Abreviatura de Scalable Vectorial Graphics que pode ser traduzido em inglês como gráficos vetoriais escaláveis. Trata-se de um formato de imagem, muito usado hoje em dia em abordagens responsivas pelo seu poder de adaptar-se sem problemas à diversos tamanhos de tela.

>Usabilidade

termo que define a facilidade que o usuário tem para interagir com uma ferramenta. Um site com usabilidade é aquele que é amigo do internauta e proporciona uma navegação mais objetiva.

>UX – User Experience

Campo do web design que trata da experiência do usuário ao navegar na rede. A ideia é trabalhar a Arquitetura da Informação de um dispositivo ou sistema para melhorar a sua usabilidade e interação com o internauta. O que também diz respeito ao design.

>W3C

é o consórcio internacional no qual as organizações e empresas filiadas trabalham juntas para desenvolver padrões abertos para a web. No Brasil, o site é www.w3c.br.

>WebGL

Padrão que permite utilizar gráficos 3D em navegadores de forma nativa, ou seja, sem ter que recorrer a qualquer complemento para que o conteúdo seja exibido. Ele é baseado no código <canvas> do HTML5, que serve especialmente para imagens.

>WHATWG

O Web Hypertext Application Technology Working Group é um grupo formado por empresas de tecnologia como Opera, Mozilla e Apple, que se formou para se contrapor à W3C, órgão definidor de padrões da web.

>WHOIS

Protocolo TCP específico para consultar informações de contatos e DNS na internet. Uma entidade na web pode ser um nome de domínio, IP ou um AS (Sistema Autônomo).

>Widget

Componente de interface gráfica de usuário, com janelas, menus, botões, etc. Ícones na área de trabalho também entram na definição.

>Wireframe

um desenho básico, como um esqueleto, que mostra de forma direta a arquitetura de um projeto final de uma interface ou site completo.

– See more at: http://revistaw.com.br/glossario/#sthash.NxAHDJlN.dpuf

 

Fonte: www.com.br

Recommended Posts

Start typing and press Enter to search

X